Turismo obscuro: Lugares mórbidos atraem mais e mais visitantes

Movidos por filmes, séries e noticiários, cada vez mais gente decide passar uns dias de ‘férias’ em lugares onde se viveu ou ainda se vive a tragédia humana, como por exemplo a fronteira entre o México e os Estados Unidos ou os caminhos feitos pelo traficante colombiano Pablo Escobar.

Os viajantes deste denominado ‘turismo obscuro’ visitam lugares marcados para sempre por mortes, catástrofes ou fatos macabros, como o desastre nuclear de Chernobyl em 1986.

A minissérie ‘Chernobyl’, produzida pela HBO e lançada neste ano, foi responsável pelo aumento do número de turistas no local onde estima-se que entre cem mil e 200 mil pessoas morreram no que ficou conhecido como o maior desastre nuclear da história. As previsões deste ano indicam que 100.000 mil turistas visitarão o local, o dobro que em 2017 

O campo de concentração de Auschwitz, no sul da Polônia, é o maior símbolo do Holocausto e recebe milhares de visitantes todos os anos. Estima-se que mais de um milhão de judeus foram mortos no local na época em que Hitler comandava a Alemanha.

A caverna Tham Lang, na Tailândia, onde 12 meninos e um adulto ficaram presos em 2018 também deve se tornar um ponto turístico para quem visita o país. O resgate do time de futebol Javalis Selvagens tomou as mídias e se tornou um caso internacional.

A ‘Rota Helter Skelter’ é um ‘passeio’ inspirado nos acontecimentos ligados ao assassinato da atriz Sharon Tate pela família Manson, liderada por Charles Manson. A tragédia completou 50 anos no dia 9 de agosto e, por isso,recebeu um número maior de turistas neste ano.

A casa onde a atriz foi assassinada pelos seguidores de Manson foi demolida e a propriedade recebeu um número novo em uma tentativa de afastar curiosos, mas não funcionou. As pessoas continuam indo até o portão da casa para tirar fotos no palco de um dos crimes mais famosos dos EUA.

A fascinação e a curiosidade mórbida é uma das motivações que leva os turistas a estes lugares. O World Trade Center, em Nova York, local onde o ataque de 11 de setembro aconteceu em 2001, é um dos principais pontos turísticos da cidade norte-americana.

Cemitérios ou lugares de catástrofes naturais como a cidade romana de Pompéia, na Itália, que sucumbiu por causa da erupção do Vesúvio em ano 79 d.C, são atrações já consideradas comuns neste tipo de turismo.

A busca de diversão relacionada com a morte é um incentivo para a lista de destinos é interminável e também inclui museus sobre torturas e prisões, como a antiga prisão de Alcatraz em São Francisco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *